Páginas

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Hibernação 2012/13

Hibernar (e não invernar) é uma espécie de adormecimento por que as tartarugas (e muitos outros animais) passam por forma a ultrapassar invernos mais rigorosos ou temperaturas mais baixas.
Muitas aves e peixes migram, muitas árvores deixam cair completamente as folhas no inverno, os humanos vestem casacos e camisolas de gola alta, as tartarugas quando a temperatura começa a descer metem-se dentro de casa - a carapaça pois claro! - põem-se a dormir e só acordam quando a temperatura estiver decente! - Inteligente não é?

Este inverno 2012/13 tem estado a ser muito suave, aqui, a norte do rio Douro, ainda nem se viu sequer pinta de geada, e é por isso que as duas tartarugas de manchas vermelhas que estão comigo há mais tempo nem sequer hibernaram, apesar de, como é normal, terem deixado de comer. Se por algum motivo vem um dia mais frio ou chuvoso elas permanecem dentro de água e ninguém as vê, mas mesmo em pleno inverno - estamos a um mês da primavera - se estiver sol aquelas duas - mais uma que a outra - continuam a vir cá para fora para se aquecerem.

Por norma, e cada caso é um caso, quando a temperatura começa a baixar dos 15 graus as tartarugas começam a deixar de comer, e comigo, dependendo dos anos logicamente, isso acontece em meados de novembro, depois do "verão de São Martinho"!

Apesar de estarem no mesmo espaço e sob as mesmas condições, as diferentes tartarugas que tenho comportam-se diferentemente. A hioroglyphica já desde outubro que não lhe ponho a vista em cima. A corcunda por outro lado andou cá por fora até depois do natal mas entretanto permaneceu sempre no lago. As duas de manchas vermelhas que estão comigo desde o início são as que vêm mais cá para fora, já a última que adotei, que é a mais velha das cinco, vai alternando, ora passa dias sem aparecer, ora lá se lembra e vem até fora da água dar um ar da sua graça.

Sem comentários:

Enviar um comentário