Páginas

terça-feira, 16 de abril de 2013

"Coisas que acontecem"

Como tinha escrito no início de março, estava a ficar bastante preocupado com a última tartaruga de manchas vermelhas que havia adotado em meados de novembro.
Desde o início do ano que reparei que ela começou a andar cada vez mais com os olhos fechados, mas como por vezes os ia abrindo e nunca vi nada demais, achei que tivesse a ver com a adaptação ao descer da temperatura e consequente entrar em modo de hibernação.

Entretanto a partir de determinada altura nunca mais a vi abrir os olhos, apesar de continuar a vir cá para fora expor-se ao sol, e inclusive trepar por cima das outras tartarugas como documentei em vídeo, e foi precisamente nesse vídeo, que uma amiga, que também tem tartarugas, me disse "olha que não é muito normal, ela nem sequer na queda ter aberto os olhos".

Como expliquei aqui coloquei-a à parte, sempre com água limpa, e ia-lhe deitando umas gotas de soro fisiológico nos olhos, mas não havia jeito de melhorar e mais preocupante ainda não se estava a alimentar porque não via a comida.

Recorri à ajuda de um veterinário, que me disse que a conjuntivite é bastante frequente nas tartarugas de manchas vermelhas - "são coisas que acontecem" - e aconselhou-me desde logo a subir a temperatura da água para o corpo reagir, visto que, segundo ele, se ela estivesse ainda num estado adormecido a medicação injetável que lhe ia aplicar seria expelida via renal e não faria qualquer efeito.


Assim fiz, como ela estava numa bacia com uns 50L de água, comprei um termostato de 150W, e entretanto  comecei a vê-la "bicar" no fundo da bacia como se procurasse comida. Desisti de atirar ração para a bacia que ficava depositava no fundo e mudei de estratégia, comecei e dar-lhe algo que lhe cheirasse logo, visto que ela não via a comida. Então tentei dar-lhe frango na boca e ela comeu logo sem qualquer problema e já fiquei mais tranquilo.

Entretanto o veterinário com a minha ajuda viu-lhe os olhos que estavam com pus, e tentou-se limpar o melhor possível. Temos que agarrar-lhe na cabeça e não deixar que ela a meta para dentro, e depois abrir as pálpebras mas são sempre tarefas um pouco complicadas para não tentar magoar o animal. Por fim administrou-lhe a medicação injetável e disse-me para lhe aplicar colírio duas vezes ao dia e depois de aplicar não a colocar logo na água porque senão a água iria retirar o medicamento.


Assim tenho feito, e finalmente ela já começa a mostrar melhoras, pelo menos já vai abrindo um olho, no outro ainda o mantém muito fechado e já vi que ainda tem mais algum pus que tentarei retirar e continuar com o tratamento, para que fique boa rápido e se junte às suas amigas.

2 comentários:

  1. As melhoras para a tartaruga, é bom saber que ainda existem pessoas assim...

    ResponderEliminar