Páginas

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Tartaruga possuída desta vez apanhada em vídeo!

No ano passado já tinha registado a cena surreal mas só em fotografia, que documentei aqui no blog nesta mensagem, mas hoje consegui o registo em vídeo e é de facto absolutamente inacreditável, até porque o arbusto está com o dobro do tamanho.

A tartaruga trepa com uma enorme facilidade a gilbardeira, que para quem não sabe é um arbusto extremamente espinhoso, atravessa-o totalmente, fica a uma altura que eu estimo de quarenta a cinquenta centímetros, e depois avalia a altura, vai-se deixando cair e atira-se como se nada fosse aterrando de cabeça. Desta brincadeira  resultaram umas belas escoriações no topo da cabeça.
Não sou nenhum especialista em análise forense! mas estou em crer que, como ela caiu na vertical, aqueles cortes foram feitos ao bater na carapaça quando ela recolheu a cabeça para dentro.



Estás linda não haja dúvidas, parece que tens umas asas na cabeça como o Astérix! 


 
 Não satisfeita passado um bocado repetiu a cena!!


- Será que devo chamar um exorcista?

Contorcionismo

Uma trachemys  com mais de vinte centímetros de carapaça cai de costas e depois como é que volta à sua posição normal? Com enorme facilidade! Vejam o vídeo:


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Começaram as escavações!

Como já tinha dito anteriormente, depois do relógio biológico ter despertado, começaram agora os ávidos trabalhos de escavação!





segunda-feira, 27 de maio de 2013

Relógio biológico

Todos os anos mais ou menos por esta altura, entre finais de maio e início de junho, parece que dispara o alarme e as tartarugas mudam completamente. Se durante o resto do ano a vida delas basicamente se resume, a comer, apanhar sol e sujar a agua, de repente como que ficam completamente possuídas!

Este ano, e como de costume, a primeira a apresentar este comportamento foi a maior de todas! Sai da água, mas em vez de arranjar o melhor sítio para se expor ao sol como de costume, não, começa a caminhar furiosamente e a procurar forma de se evadir, e persiste e persiste mesmo que caia uma e outra e outra vez. É admirável a persistência destes bichos... ou a estupidez! depende da perspetiva!







Depois como que farejam o terreno há procura de qualquer coisa e escavam um pouco com as patas da frente. 


E todos estes comportamentos culminarão brevemente com a senhora a cavar buracos por todo o lado para colocar os ovos. Se conseguir fotografias/ vídeos depois colocarei cá.



quinta-feira, 23 de maio de 2013

Dia mundial da tartaruga

Não sei se seria suposto hoje comprar-vos uma prenda, mas se fosse, não seria só pela desculpa da crise e da vida estar difícil  - e ainda por cima vós sois cinco! - mas tem também muito a ver com o facto de eu  não ser propriamente o maior entusiasta com o dia mundial disto e daquilo.

Mas no fundo será uma forma de fazer lembrar que as tartarugas existem, e ao menos num dia por ano fala-se de tartarugas, de toda a problemática que as envolve e como, por exemplo, de estarem cada vez mais ameaçadas de extinção.

É sinal também, que neste mundo em que as pessoas cada vez mais só pensam no seu umbigo e muito pouco nos seus seus semelhantes, ainda há ao menos gente preocupada com o bem estar dos animais.

De qualquer das formas: Parabéns!!

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Manter a cabeça fria II

Quanto mais observo o comportamento das minhas tartarugas, que aos poucos vão sendo mais, mais confirmo a ideia que sempre tive, que além dos comportamentos comuns à espécie, existem sempre comportamentos únicos de cada indivíduo, e estou em crer que será assim com todos os seres vivos. 
Até agora tive seis tartarugas, mas só esta, de vez em quando gosta de, ao mesmo tempo que está a apanhar sol, enfiar a cabeça na água durante uns minutos. 





Aqui parece que as outras duas se perguntam: "Ela estará bem?"



quarta-feira, 15 de maio de 2013

Prato do dia: caracóis

Depois de uma noite chuvosa, os caracóis passeiam-se mais à vista do que habitualmente. É sempre uma boa oportunidade para os apanhar e os servir pois trata-se de uma iguaria muito apreciada.




Cuidado com os dedos!




terça-feira, 14 de maio de 2013

Manutenção do espaço

Na primavera e verão há sempre mais a fazer que no outono e inverno, porque como é evidente, é na primavera que as plantas começam a crescer, e há relva e heras para cortar, ervas e fetos para arrancar, e por outro lado é quando as bichas mais comem, logo mais sujam a água.

O espaço tem poucos elementos: o lago, a relva (gramínea) que é preciso cortar ao comprimento e delimitar para que não cubra todo o espaço coberto pela areia, e ainda arrancar alguma para a arejar e claro cortar em altura. Tem um cato do lado direito, a gilbardeira do lado esquerdo e as trepadeiras (heras, ficus e jasmim) junto ao muro.

Hoje comecei por mudar a água toda ao lago e não é algo que faça frequentemente, e o principal motivo, é óbvio, é o preço absurdo da água. Por norma faço aquilo que se designa por TPA - Trocas Parciais de Água -  e por norma retiro cerca de 150L de água para dois bidões que tenho e já é quase 30% do total da água, e faço-o frequentemente, pois assim reaproveito aquela água suja, mas que é excelente para fertilizar as muitas plantas que tenho.

Retirei a água/ troncos

Coloquei água limpa/ cortei a relva

Voltei a colocar os troncos 

Do lado direito do lago tinha também um jasmim que tinha plantado porque a hera que estava naquele canto estava a crescer muito mais lentamente e então pensei que o jasmim ajudaria a tapar mais rapidamente o espaço, mas entretanto a hera cresceu bem este ano, e já estava um emaranhado de heras com jasmim, e então achei por bem arrancá-lo, mas como o queria aproveitá-lo para outro fim, tive de o arrancar com um torrão relativamente grande para a planta não sentir muito a mudança, tarefa que requereu algum trabalho. Comecei por retirar as canas, abrir uma cova em volta do jasmim e lá consegui retirá-lo.



Por fim faltava tapar o buraco e recolocar as canas no lugar. 


Entretanto passei no horto e comprei mais Salvinia sp porque todas as plantas que tinha no ano passado morreram, e estou em crer que deveria tê-las recolhido antes do inverno porque terá sido o frio que fez com que apodrecessem. Comprei umas quantas plantas, e rapidamente se propagarão com grande facilidade. Também coloquei uns pés de jacintos de água (Eichhornia) , veremos se eles se desenvolvem. 


Salvinia sp

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Hieroglyphica (macho) com as hormonas aos saltos

Não sei se ter quatro fêmeas à disposição faz parte do sonho erótico de qualquer tartaruga macho - ainda por cima devem ser todas virgens! -  mas a verdade é que o pequenote anda a fazer-se, curiosamente à mais velha e à mais nova! Se calhar é fetiche!
Podem-lhe chamar persistente mas cá para mim é um valente chato, elas evitam-no mas ele persegue-as e lá se mete em cima delas no seu estranho ritual de abanar violentamente as patas em volta da cabeça delas, e ainda por cima sai de cima de uma para se meter, logo a seguir, em cima da outra!!




Temperaturas e termómetros - Tirar as teimas


Já por diversas vezes comentei com amigos que em minha casa no verão facilmente a temperatura ultrapassa os 50º, e sempre reparei que o pessoal ficava assim meio naquela do "ele deve estar para ali a dizer uma barbaridade" isto sabendo eu que não serei conhecido por dizer mentiras.

Eu argumentava sempre que era o que o termómetro marcava, e apesar do aparelho já ter uns quarenta anos ou mais, sempre achei que as coisas que hoje são velhas, naquele tempo eram feitas para não avariar, precisamente o contrário do que se faz hoje em dia, mas também eu, por vezes, lá no fundo me questionava - será o que termómetro está mesmo bem?

Então por via das dúvidas, este fim de semana, e quando passava os olhos na secção de jardinagem de uma grande superfície comercial, resolvi gastar 1€ num termómetro que foi fabricado lá longe na China, para tirar as teimas, se o meu velhinho termómetro estava realmente bem ou não e para deixar de ouvir os mesmos comentários, que eu estava louco se acreditava, que em minha casa, poderia, como eu dizia, a temperatura ultrapassar os cinquenta graus visto que não moro no deserto!

Mas o problema começa logo aí, nos cinquenta graus, é que o pobre do termómetro que comprei vai até aos cinquenta graus!! Pensei logo "isto não vai aguentar"!

Passava pouco das duas da tarde, os termómetros estavam colocados no muro que delimita o espaço das tartarugas e acho que a fotografia é bem reveladora:




sábado, 11 de maio de 2013

Companhia para as brincadeiras

Agora com a chegada da mais nova tartaruga, o jovem macho arranjou uma nova amiga mais ou menos da idade dele para alinhar em brincadeiras próprias para a idade! 
Claro que estamos sempre a atribuir caraterísticas humanas aos animais, é lógico que as duas pequenas tartarugas não vão jogar ao berlinde, ou jogar à macaca como as crianças! aliás o mais certo é as tartarugas serem animais que passam muito bem sem companhia e sem precisarem de socialização, a não ser, claro, quando procuram reproduzir-se, mas aí o interesse também não será muito na socialização em si!! 
Contudo, e apesar disso, tenho encontrado algumas vezes as duas crianças muito próximas como as fotografias documentam.  



Para já a mais nova continua muito tímida e escondida debaixo de água, exatamente o mesmo processo de conquista de confiança por que passaram todas as outras tartarugas. É normal quando o animal se vê num espaço completamente diferente que precise de tempo para se ambientar e se sentir totalmente confortável, até nós humanos somos assim não é?
Mas por outro lado, a hieroglyphica que já está no lago há dois anos, e que já há muito passou por esse processo, anda também ela agora a precisar novamente de confiança. A minha explicação, e que vale o que vale, ou seja muito pouco, é que  provavelmente depois de seis meses de hibernação, voltou a ser tudo novo, mais ou menos como quando éramos crianças, e que depois das férias grandes ficávamos nervosos por voltar à escola. 


quinta-feira, 9 de maio de 2013

De olhos bem abertos

Entretanto os tempos de preocupação com a tartaruga mais velha que adotei no outono passado já passaram e parece-me que agora está tudo bem. Há poucos dias coloquei-a definitivamente no lago, e alimenta-se bem, aliás anda sempre atrás de comida, há só um pequeno senão, que é, nem sempre acertar na comida quando a tenta comer, e ainda ontem dei com ela a morder um tronco, o que pode indicar que não está com a visão a 100%, mas é algo que também já vi a pequena hieroglyphica fazer, não acertar bem na comida ao morder. Vou estar atento, mas o pior já ficou para trás. 
Em relação à interação com as restantes tartarugas tudo funciona lindamente e nunca vi quaisquer sinais de conflito.




terça-feira, 7 de maio de 2013

Nova adoção - Terceira família de acolhimento da Ruby

Como escrevi na mensagem anterior, no fim de semana passado estive em Aveiro, o motivo pois está claro, trazer mais uma amiga de carapaça para casa!
Desta vez não se tratou de uma adoção como nos casos anteriores, em que as pessoas não tinham condições e queriam encontrar alguém que pudesse proporcionar uma vida melhor ao seu animal. No caso era alguém que tinha realmente condições com um lago exterior, mas o animal andava agora a criar outros problemas.

Conheci a Sofia, a dona da tartaruga, num fórum de tartarugas. Primeiro fui tentando ajudar em várias questões sobre o lago e plantas aquáticas, depois com as tartarugas que adotou, e uns tempos depois já tínhamos criado uma amizade que ia muito além desse tema comum que eram as tartarugas.

A Sofia tinha adotado esta tartaruga em setembro do ano passado e teria dois anos, e é fácil saber com precisão, pois os antigo donos compraram-na ainda bebé. Fará portanto este verão  três anos.

Nov/2010

Set/2012

E com três anos é ver como cresceu e bem! Tem neste momento quinze centímetros de comprimento e doze de largura. Daí que, como tenho vindo a alertar, as tartarugas que se vêem nas lojas são muito pequeninas mas crescem e rápido!

Mas por que é que a Sofia me perguntou se eu não quereria ficar com a bicha?
Já antes de ter tartarugas ela tinha um lago exterior de 500L com peixes, e até agora, desde que juntou as duas tartarugas, nunca tinha tido problemas, se bem que eu sempre a adverti que juntar peixes com tartarugas poderia não dar bom resultado. Nos últimos tempos esta bicha que é bem mais voraz que a outra tartaruga que tem, uma Pseudemys, começou a atacar os peixes. Mas é interessante como a Pseudemys, que até é maior, ignora totalmente os peixes, e isto mostra como espécies diferentes apresentam comportamentos diferentes.

E pronto, tenho agora mais uma tartaruga no lago, a primeira Trachemys scripta troosti:

Já no meu espaço

Comparando o tamanho com a maior

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Tartarugas em sítios improváveis II - Aveiro

No verão de 2010 estive em Aveiro, passeei pela cidade, comi os famosos ovos moles e ainda andei de moliceiro pela primeira vez. Uma das visitas quase que obrigatórias seria passear pelo Parque Municipal. Andei por lá a passear em boa companhia naquele jardim muito aprazível, com muitas árvores em volta de um grande lago. 

Depois a conversa continuou mas agora num banco de jardim junto ao lago do parque, quando de repente vislumbro algo a deslocar-se rapidamente à superfície da água, e não seria certamente um crocodilo!
Fui ver, e era mesmo uma enorme tartaruga que por ali se passeava, e depois fiquei a saber que por ali andavam muitas mais. 

Ontem estive lá de novo - e na próxima mensagem explicarei melhor porquê - e desta vez já andei especificamente à procura delas, das tartarugas, mas só vi duas que estavam a apanhar sol, e fica a dúvida se elas agora andarão por lá em menor número. 

Zona da gruta

Lago 



Duas tartarugas, uma de cada lado 




Comida não falta, é preciso é nadar atrás dela!



Tartarugas em sítios improváveis I