Páginas

sábado, 11 de maio de 2013

Companhia para as brincadeiras

Agora com a chegada da mais nova tartaruga, o jovem macho arranjou uma nova amiga mais ou menos da idade dele para alinhar em brincadeiras próprias para a idade! 
Claro que estamos sempre a atribuir caraterísticas humanas aos animais, é lógico que as duas pequenas tartarugas não vão jogar ao berlinde, ou jogar à macaca como as crianças! aliás o mais certo é as tartarugas serem animais que passam muito bem sem companhia e sem precisarem de socialização, a não ser, claro, quando procuram reproduzir-se, mas aí o interesse também não será muito na socialização em si!! 
Contudo, e apesar disso, tenho encontrado algumas vezes as duas crianças muito próximas como as fotografias documentam.  



Para já a mais nova continua muito tímida e escondida debaixo de água, exatamente o mesmo processo de conquista de confiança por que passaram todas as outras tartarugas. É normal quando o animal se vê num espaço completamente diferente que precise de tempo para se ambientar e se sentir totalmente confortável, até nós humanos somos assim não é?
Mas por outro lado, a hieroglyphica que já está no lago há dois anos, e que já há muito passou por esse processo, anda também ela agora a precisar novamente de confiança. A minha explicação, e que vale o que vale, ou seja muito pouco, é que  provavelmente depois de seis meses de hibernação, voltou a ser tudo novo, mais ou menos como quando éramos crianças, e que depois das férias grandes ficávamos nervosos por voltar à escola. 


Sem comentários:

Enviar um comentário