Páginas

sábado, 23 de janeiro de 2016

Com Licença!

Quando passamos muito tempo com os nossos animais, como que já podemos saber e antecipar certas coisas que vão fazer, mesmo no caso dos repteis.

Hoje vi a tartaruga mais velha inquieta, e pela sua linguagem corporal, apercebi-me que ia abrir a boca, e então esperei que o fizesse para conseguir mais uma ou outra fotografia. Não são as melhores que já tirei, mas são sempre momentos curiosos e aqui ficam:







Insólito em Janeiro

Como já por diversas expliquei aqui no blogue, as minhas tartarugas começam a deixar de comer abaixo dos quinze graus e entram num estado de semi-hibernação quando entramos no inverno e as temperaturas baixam substancialmente. Deixam de comer por norma em finais de outubro e início de novembro. Mas hoje aconteceu algo de verdadeiramente surpreendente e nunca até hoje visto por mim.

De tarde, cheguei junto do espaço das tartarugas e as três mais velhas estavam todas fora de água, expondo-se para se aquecerem, tal como faz qualquer réptil. 











As outras duas mais pequenas ficaram dentro da água, mas também se fizeram notar. 




Mas o insólito aconteceu quando, elas me pediram comida! Ora bem, elas não falam, então como é que sei que me estavam a pedir comida? Basta vê-las aproximar-se da beira da lago e começarem a chapinar com as patas. Eu mesmo me surpreendi e pensei, se poderia ser verdade, se quereriam elas comer. E então fui buscar um frasco de comida de gato e então atirei alguns grãos para a água, e o espanto foi completo, pois vi-as a comer. 




2015 foi o ano mais quente desde que há registos. Ainda há pouco escrevia no Bucólico-Anónimo sobre o jasmim que está em flor em pleno janeiro. E em pleno janeiro e quando dão temperaturas de mais de vinte graus para este fim-de-semana, as tartarugas comeram, quando só o deveriam começar a fazer em março. Algo de muito estranho se está a passar com o planeta. 





sábado, 16 de janeiro de 2016

Último pedido de Alan Rickman

O conhecido ator morreu esta semana e tomei agora conhecimento que num dos seus últimos trabalhos, de emprestar a sua voz a uma campanha de solidariedade, deixou um pedido especial: para vermos este vídeo, de uma tartaruga a comer um morango, pois o dinheiro reunido será doado para a ajuda aos refugiados.