Páginas

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Como tudo começou...


Estaríamos em 2000 ou 2001 não tenho bem a certeza, quando uma amiga, a Helga, se lembrou de mim como hipóteses para ficar com as tartarugas dela, isto porque ela e os pais iam mudar de casa, e as tartarugas dela já estavam bastante grandes para o pequeno aquário onde estavam, e eu vivia numa vivenda com bastante espaço exterior.  Ela ainda equacionou doá-las ao Parque Biológico de Gaia, mas se eu ficasse com elas seria sempre diferente. E eu aceitei de bom grado  ficar com as duas tartarugas dela, afinal nem sequer tinha animais de estimação e foi assim que se iniciou a coisa. Entregou-me as duas bichas, com a sua comida, os célebres pouco nutritivos camarões secos, e poucas dicas, e eu fui cuidando delas o melhor que sabia. Doze anos depois ainda as mantenho de boa saúde,  são as maiores tartarugas que tenho, já da Helga há muitos anos que não sei o que é feito dela, sei que casou e foi morar para Lisboa, mas há muito que lhe perdi o rasto.
Fica a primeira dica: as namoradas vão, os amigos vão mas as tartarugas vão ficar sempre, aliás, provavelmente nós mesmos morreremos e as tartarugas ficarão cá depois de nós. Se pensa em adotar uma tartaruga não pense impulsivamente no imediato, em como seria engraçado ter uma tartaruga, pense sim que está a adotar um animal que provavelmente irá durar várias décadas, e pense em tudo que isso irá implicar. 

Sem comentários:

Enviar um comentário